Tema de Fundo do Blog Repense | Multibenefícios GPA

Blog Repense | Multibenefícios GPA

Gamificação - Como jogos podem engajar e motivar o time

Publicado em 13/07/2022

Categoria: Sua Empresa | Tags: RH

Gamificação - Como jogos podem engajar e motivar o time

É difícil encontrar uma pessoa que nunca tenha ficado horas na frente de alguma tela para passar de uma fase difícil de um game ou uma que não tenha comprado aquele jogo de tabuleiro pensando em se divertir e competir com amigos e família. A gamificação sempre fez parte da nossa vida e pode ser um recurso precioso para o RH no ambiente de trabalho, como contaremos neste artigo.

Jogos em campanhas de incentivo é algo já bastante utilizado por empresas. Na área comercial, por exemplo, é comum haver metas e desenvolver dinâmicas que estimulem a superação, tendo um prêmio como objetivo.

Entretanto, a gamificação está chegando para outras áreas, e o RH tem descoberto o valor da prática em treinamentos, como forma de fixar o conteúdo aprendido e até mesmo na contratação, algo que tem se intensificado, principalmente, como forma de atrair profissionais da geração Y, como conta reportagem do Mundo RH.

 

Leia mais: 4 maneiras eficazes para engajar o colaborador (em tempos de novo coronavírus ou não)

 

Para se ter ideia do potencial do mercado dos jogos corporativos, existe até uma divisão da LEGO, chamada Serious Play, que comercializa kits especiais para adultos e realiza workshops de capacitação para ensinar instrutores(as) sobre como usar os bloquinhos de montar mais famosos do mundo para desenvolver competências no trabalho.

Outro dado importante é o valor desse segmento. De acordo com a Allied Market Research, o mercado de jogos corporativos, chamado lá fora de serious games e avaliado em US$ 5,94 bilhões em 2020, deverá superar a marca dos US$ 30 bilhões no ano de 2030.

 

Leia mais: O que oferecer como premiação na sua empresa?

 

Como fazer a gamificação funcionar

Desenvolvidos com base em princípios de Andragogia, metodologia de ensino para adultos criada pelo norte-americano Malcolm Knowles, os jogos são diversos em dinâmica, assim como de objetivo. Por isso, ao criar um para engajar os(as) colaboradores(as) da sua empresa, tenha em mente qual é a meta a ser atingida: se a ideia é melhorar a comunicação, fixar a importância de estabelecer e seguir processos etc. Isso é o que vai nortear todas as regras do game e como ele vai funcionar.

O ideal é sempre criar histórias, como em um RPG, que se desenrolem de acordo com produtos ou serviços oferecidos pela empresa. Em um desafio ligado às vendas, por exemplo, um produto com mais saída pode ter uma pontuação menor na dinâmica do que o que vende menos, como forma de estimular os(as) participantes a conceberem estratégias para comercializá-lo e atingir uma pontuação maior.

Outro ponto importante ao criar dinâmicas de gamificação é tomar cuidado para que elas estimulem mais a cooperação do que a competição. Afinal, é sempre melhor que os jogos sirvam para mostrar como um time unido e complementar em suas características é capaz de resultados melhores.

 

Leia mais: Incentivo e premiação: quais os resultados para a empresa?

 

As Escape Rooms e o recrutamento

Para implantar uma estratégia de gamificação não é necessário estruturar um jogo do zero dentro da empresa. Um dos recursos aos quais o RH pode recorrer é encontrar um instrutor especializado para fazer isso ou mesmo entrar em contato com as conhecidas Escape Rooms.

Popularizados na última década, os jogos consistem em um grupo unido em uma sala fechada, que precisa encontrar diversas chaves para sair dela em um determinado tempo.

 

Leia mais: Cartão presente: por que essa solução é inteligente e econômica?

 

Com uma infinidade de temas e desafios de lógica para ter acesso às chaves, as Escape Rooms estimulam o trabalho em equipe. Afinal, com tempo limitado, é preciso que cada um cuide de uma das várias tarefas que precisam ser realizadas simultaneamente para que as chaves apareçam e a porta seja destrancada. Assim como acontece em uma empresa.

Esse estilo de game também tem sido utilizado por muitas instituições como um aliado para os processos seletivos. Além de mostrar como o(a) candidato(a) a uma vaga trabalha em equipe, recrutadores(as) ainda conseguem observar habilidades de liderança e inteligência emocional para atuar sob pressão.

 

Leia mais: Como criar um ambiente mais inclusivo para autistas se desenvolverem na empresa

 

Então, seja com Escape Rooms bem elaboradas ou dinâmicas simples, como jogos de cartas criados dentro da própria empresa, estratégias de gamificação são uma maneira eficaz e descontraída de manter o time engajado e unido, contribuindo para melhorar as habilidades de comunicação e interação de todos(as) que fazem parte da equipe.

E na sua empresa? O que o seu RH pode fazer para “entrar no jogo”?

Ah! E não se esqueça de que, na hora de incentivar o(a) colaborador(a) que participou do game, Multibenefícios pode ser o parceiro certo da sua empresa. Multicash é o cartão-presente ideal para ações promocionais e de incentivo. Fale com a nossa equipe!

Compartilhe

Artigos Relacionados

Sua Empresa

ESG e Sustentabilidade: como o RH pode atuar?

É preciso preservar o meio ambiente. Disso, ninguém duvida. Mas, a cada reunião, simpósio ou encontro entre nações fica claro [...]

Publicado em: 21/07/2022

Sua Empresa

LGPD: O que o RH precisa saber sobre a lei

Apesar de a LGPD (sigla para Lei Geral de Proteção de Dados) já estar em vigor desde 2018, a adesão [...]

Publicado em: 27/06/2022

Sua Empresa

ESG e diversidade: qual a relação e como o RH pode ajudar?

ESG é a sigla do momento entre as corporações. Mas, de onde ela veio? E o que isso tem a [...]

Publicado em: 13/06/2022